12/11/12

Serás tu?

Não encontro a mentira nesses olhos
Transparentes como esta chuva que cai,
Negros como esta chuva que me ilumina

Encontrarei a luz numa alma difusa,
Uma razão invariavelmente transformada
Talvez me dês um pouco mais que nada

Serás tu a felicidade estanque?
A força dos passos de um novo dia,
Colírio destes olhos destruídos?
Quiçá sejas somente o meu novo paraíso.

Sem comentários: