30/12/10

O sentimento morreu

A bondade que existia desapareceu
No ser humano só resta maldade
Nem a simplicidade morreu
A esta impetuosa monstruosidade


Aquela que em mim resta
E que tanto me custa preservar
Já nem sei se semelhante sentimento presta
E se vale a pena faze-lo prosperar


Em nada se vê a pura igualdade
Só uma enorme ganância e muito egoísmo
Já nem falo da liberdade
Queria simplesmente um pouco mais de altruísmo


Peço que chegue a mudança
A que em nenhuma altura foi tão pedida
Aquela que restaurará a confiança
A que eu á muito sinto perdida


Resta-me apenas a amizade
Um dos poucos bons sentimentos que sobra
Mas até já essa é atingida pela falsidade
E pela execrável mentira a toda a hora


Vou continuar a preservar
Os bons sentimentos que me sobram
Vou manter o medo de os demonstrar
Mas nunca vou esquecer que em mim moram

Sem comentários: