10/08/10

Tempo

O relógio não pára
Contando cada segundo que passa
Porque ele não espera
E raramente se atrasa
Enquanto solta a fera
Que nos consome e nos arrasta


Cada movimento e som
Suave e fresca melodia
Prova que o tempo é um dom
Que a todos influencia


O tempo que passou
Já não recua
Apenas nos deixou
A sua marca crua


Tic toc, canta lentamente
Na sua doce canção
Que nos leva a pensar repetidamente
No tempo gasto em vão


Porque o que passou já não volta
E sempre assim será
Não o interpretes com revolta
Porque ele sempre assim estará
E quando vires a tua vida solta
Vais ver que tudo mudará

05/08/10

Falsidade

A falsidade
É algo que eu abomino
Altera-nos o conceito de verdade
E muda a maneira de olhar para o destino


Muda-nos o modo de ver
As verdades como são
Resta-nos aprender
A fugir de tal ilusão


Quem é um falso amigo
Não merece a amizade
Porque não se abandona um amigo
Nem se omite a verdade


Aos falsos que conheço
Porque deles não me esqueço
Aprendam que a amizade
Inclui também a lealdade

Obrigado a todos os que me magoaram

Obrigado a quem me fez chorar e reconsiderar a minha existência. Sem eles não seria quem sou hoje. Agradeço todas as mentiras e traições que me contaram e a que me sujeitaram. Um especial obrigado a todas as pessoas falsas que invadiram a minha vida. Não digo isto com nenhum tipo de ironia, digo-o com a mais pura verdade que existe dentro da minha pessoa. Fizeram-me olhar para a vida com outros olhos e ajudaram-me a escavar o poço onde aos poucos me enterrei. Sei que isso provavelmente vos deixará tristes, mas não conseguiram deitar-me abaixo. Ergui-me e orgulho-me muito disso. Mas quero que saibam que o meu ódio pelas vossas pessoas continua bem presente em mim e como é óbvio nunca desaparecerá. Mas deixo-vos aqui o meu mais sincero obrigado.

Ironia

Por pura ironia
A vida nunca suou como eu queria
Tentei seguir em frente
Para renascer num novo presente


Esse presente não existia
Estava envolvido na escuridão que me envolvia
Quis ser diferente e lutar
Para que não me conseguisse dominar


Sei que posso falhar
E ao fundo voltar
Mas por agora este presente
Vai ser com certeza diferente


Já chega de chorar
Por algo que nunca irá mudar
Nós fomos criados para desistir
Resta-nos a nós não o consentir

04/08/10

A chave

Nesta sociedade
De consumo e inveja
Não há verdade na amizade
Nem amor que se veja


Escondi a minha chave do cofre
Está onde ninguém a descobre
Para dá-la a alguém que não sofre
Ou a alguém com uma alma mais nobre


Há que provar que a merece
Não usando a falsidade e a mentira
Porque o que faz mal não se esquece
E aumenta a minha ira


Quem a tiver
Fez por recebe-la
Não teve de sofrer
Apenas lutar por merece-la

03/08/10

Aquela melodia
Que soa em mim por simples fantasia
A que me ajudou a crescer
A ver a vida com olhos de ver


Já chega de chorar
Porque as lágrimas a local nenhum nos vão levar
Venha o sentimento em abundância
O que aumenta o meu senso de tolerância


Continuo a querer descobrir
A magia de sorrir
Quando conseguir aprender
Uma pessoa melhor conseguirei ser


Quero viver a vida na sua plenitude
Sentir a minha existência noutra amplitude
Vou fazer da experiencia uma acção
Que me fará dar as coisas uma nova função

02/08/10

Com bastante subtileza
E uma pitada de beleza
Vou mostrando a simplicidade
Desta subtil forma de arte


Não lhe chamo talento
Isso seria um desalento
Mas chamo-lhe evolução
A esta estranha forma de junção


Junção de simples e nobres palavras
Que ao serem solenemente conectadas
Demonstram os mais simples sentimentos
Que por vezes nos causam os maiores tormentos


Porque a poesia
É uma delicada forma de fazer magia
Onde o sentimento é comandante
E a palavra a rainha para todo o instante

Back to the old times

Vou fazer a viagem que há muito queria ter feito, mas que por causa de uma enorme estupidez e de uma inqualificável falta de lucidez nunca puder fazer. A viagem é feita dentro de mim, sem rota pré definida nem destino traçado. Vou olhar-me com os olhos que provavelmente nunca me olharam, porque esses olhos estavam cegos, só viam a escuridão que me guiava. Pois bem por mim, chega, finit, enough… Cansei-me de tanta escuridão á minha volta. Quero procurar a cor e a luz que me tem faltado. E quem te garante que a encontrarás? Bem, ninguém o pode garantir, mas pelo menos poderei dizer que tentei, pode correr mal e dar errado mas pelo menos tentei. Mas espera, estás a mudar? Não lhe chamo mudança chamo-lhe outra coisa muito mais simples, cansaço. É simples, fartei-me de ser pequena. Não quero ser gigante, quero ser maior do que sou. Se lhe chamam mudança, não me importa. Eu sei o que pretendo alcançar.

Essência de um ser

Não sou poeta nem escritora
Sou uma mera observadora
Não sou triste nem feliz
Porque não sou mais que uma aprendiz


Desta nobre vida que se evapora
Ao som do grito da alma que chora
Chora por não conseguir compreender
A essência da palavra viver


Porque viver é observar e conhecer
E aprender a conjugar o verbo sofrer
Que embora não passe duma ilusão
Deixa a sua marca num pobre coração


Que por não querer sofrer
Nem querer compreender a palavra viver
Já nem consegue existir
Porque dentro de si só existe vontade de desistir

01/08/10

A poesia

A poesia,
Não passa de mera filosofia
Que nos acalma
Quando algo nos transforma a alma


Senti que as palavras transmitem a sua dor
Quando expressam a complexidade do amor
Exprimem o que a boca não consegue dizer
E que o pensamento quer esconder


Demonstram os sentimentos esquecidos
De todos aqueles momentos perdidos
Onde a alma nos ensina
Que a vida é algo que nos domina


Mas se soubermos o que as palavras nos dizem
E mesmo que os mais pequenos sonhos não se realizem
Teremos de saber
Que lutar é viver