12/02/10

O silêncio será a minha melhor arma!

Em vez de atacar
Vou-me começar a calar


Deixo a arrogância de lado
Isso não tem nada de errado


Sempre que ela quiser surgir
Fecho os olhos e tento-a impedir


Quem me quiser ajudar
Pode voltar para o seu lugar


Porque quando precisei de ajuda
Todos iniciaram a sua fuga


Não vou dizer nada a ninguém
Só aquilo que achar bem


Assim se quiser desistir
Não há nada para me impedir.

10/02/10

Sentimento estranho

Não sei o que estou a sentir
Simplesmente não consigo sorrir


Sinto-me enganada
Porque já fui muito magoada


Não consigo desistir
Porque algo me faz resistir


Não quero chorar
Para não sentir as lágrimas a rolar.


Sinto-me a cair
Mas o pior ainda está para vir


Não me consigo conter
E deixo todos a sofrer


Tento-me controlar
Mas quando dou por mim já estou a disparar


Magoo sem querer
Mas acabo sempre por sofrer


E mesmo não querendo chorar
Sinto as lágrimas a deslizar


Estou cansada de mim mesma
Sou pior que uma lesma


Apetece-me desaparecer
Mas não quero fazer ninguém sofrer


Mas se isto continuar
Não sei como vai acabar


Estou a tentar mudar
Mas preciso de algo para me ajudar


Porque quero sentir alegria
Para acabar com esta agonia!

Eu agora sou um nada

Sinto-me um nada, que procura por tudo mas que só encontra o nada. Sinto-me oca por dentro, com um vazio do tamanho do universo. O que eu via como tudo agora está transformado num gigantesco nada. Vejo-me neste estado e sinto-me impotente, não consigo agir porque tenho de parar para reflectir. Á minha volta vejo ódio, revolta, tristeza e solidão. Só me consigo ver a mim e ao meu vazio. Estarei a tornar-me egocêntrica? Não, isto é simplesmente a minha racionalidade a desaparecer. Quero, preciso e tenho de mudar. Não tenho nem quero ter nenhum problema serio. O único problema aqui sou eu! Eu é que tenho de mudar, eu é que preciso de mudar. Tenho-me esforçado para tal, mas não tenho força suficiente para isso.

Como tudo seria...

Como tudo seria
Se eu num belo dia

Me estivesse a distrair
E desata-se a fugir?

Seria uma grande alegria
Porque ninguém ouvia a minha ironia

Ninguém sofria
Com a minha agonia

Ninguém chorava
Porque eu já não lá estava

Já ninguém estava em ânsia
Porque já não havia arrogância

Mas se esse dia chegar
Eu lá estarei para o enfrentar

Estou pronta para fugir
Porque quase nada me conseguirá impedir

Porque quando esse dia chegar
Já nada vai restar!

A revolta possuiu-me de novo!

Voltei a ser possuída pela revolta. O que me revolta? Estou revoltada com a arrogância que me está a invadir e que me provoca impulsos incontroláveis. Quem me revolta? Pergunta fácil, é uma miúda a quem resolveram chamar de Diana (Alexandra Vieira) Hilário, o que é um quanto irónico porque essa miúda sou eu. Mas porque que estou revoltada comigo mesma? Por um motivo simples odeio estes ataques de arrogância que me dão de vez em quando. Simplesmente não os consigo controlar e quando dou por mim já magoei meia dúzia de pessoas. Depois vêm os remorsos, os arrependimentos, os pedidos de desculpa entre outros. A minha arrogância não escolhe vítimas, tal como um assassino sem piedade e faz com que eu ataque qualquer pessoa, seja ela quem seja. Se eu pudesse arrancava esta arrogância de dentro de mim, mas ela é forte e não sai assim do dia para a noite. Mas estou diferente, em tempos que já lá vão, era puramente arrogante, sem ter pena de ninguém, sem sentir culpa ou arrependimento. Já não sou assim, já sinto culpa, já me arrependo, já choro, já grito. Estou a esforçar-me para controlar esta arrogância, juro que o estou. Eu sei que é difícil de acreditar mas tenho dentro de mim uns mini operários no meu cérebro a tentar arranjar isto, mas de vez em quando acontece uma explosão que destrói tudo e eles têm de fazer tudo de novo. Quero um dia chegar e dizer: “finalmente desapareceste da minha vida, maldita arrogância”. Nesse dia vou ser a pessoa mais feliz do mundo!

09/02/10

Para a melhor amiga que alguém pode ter!

Sempre fomos da mesma turma. Este ano não éramos para ser, mas por ironia do destino voltamos a ser colegas! Mas só nos tornamos amigas há 3 anos, parece pouco mas para nós é uma vida! Começamos a falar por acaso, nunca percebi quando nem o porquê. Mas não me arrependo e tu arrependes-te? Já me disseste que não, mas fico sempre na dúvida. Para além de laços de amizade, somos familiares, mais especificamente primas (muitas afastadas, mas primas). Ficaste comigo quando todos me viraram as costas, estavas comigo (e também te calhou) naquele dia que nos marcou a vida. Ajudaste-me quando me abandonaram. Basicamente salvaste-me a vida. Como o meu pai diz "Nem duas irmãs se dão tão bem". Adiante somos ambas fãs dos Linkin Park, temos o nosso vocabulário especial (que praticamente ninguém compreende e nem é para perceber), somos grandes apreciadoras de preto e de pulseiras com picos (no teu caso aprecias fundamentalmente as minhas) etc. Resumindo e concluindo és aquela amiga que muitos queriam ter e que muitos têm inveja de não ter. Só contigo é que faço figuras de ganzada por andar a rir feita parva no meio da rua. É só contigo que gravo os vídeos mais cómicos deste mundo. Sabes que eu te adoro e que sem ti a minha vida não tinha graça nenhuma. Se eu podia viver sem ser tua amiga? Podia mas não era a mesma coisa. Adoro-te melhor amiga! Que para quem ainda tiver dúvidas ela chama-se Catarina Lopes.

08/02/10

Para ela...

Conheço-te á muito tempo, mas nunca tive uma grande ligação contigo. Tinha algo que me fazia gostar de ti. Mas nunca soube muito bem o que era! Mas descobri, somos bastante parecidas. Temos várias coisas em comum, já sofremos bastante, somos (ligeiramente) arrogantes, gostamos de boa música, apesar de seres mais virada para a Música Clássica (embora eu também aprecie música clássica) e eu ser mais virada para o Metal. Comecei a falar contigo devido ao simples facto de sermos colegas de turma, e sinceramente não me arrependo de nada, visto que eu é que fui a invasora da turma. Temos feitios parecidos, somos arrogantes, irónicas e tristes por natureza. Já fomos magoadas por quem gostávamos, já fizemos muitas coisas que nos arrependemos. Temos o vício incontrolável das pipocas. Mostras-te me os Oomph!, que até é uma bela banda, tem sons potentes. Resumindo e concluindo, estou a gostar de te conhecer porque como é óbvio não se conhece uma pessoa assim do dia para o outro. Quero que saibas que gosto muito de ti, e que és uma pessoa muito especial.
(Quem é ela? Não interessa, ela sabe quem é)
Adoro-te minha Mozie :P

02/02/10

Quem sou eu?

Definem-me como arrogante. Mas sou muito mais que isso. Sou revoltada com a vida, sou arrogante, infantil, exagerada, individualista, desconfiada entre outros. Para muitos sou uma arrogantezinha de meia tigela que por vezes só merece um belo par de estalos. Sou mais que isso absolutamente. Mas mostro o meu lado defensivo. Lanço este desafio, quem não me conhece e gostava de o fazer, sente-se comigo um dia e fale comigo. Tente perceber o porque de tanta arrogância e agressividade. Pode não gostar de muitas coisas, mas que me ficará a conhecer muito melhor. Algumas pessoas já tiveram a coragem de o fazer, e até agora dou-me bem com a maior parte delas. Não sou nenhum ser estranho, apesar de viver no meu mundo, de não ligar a expressões de afecto, sou de carne, osso, músculo etc. Sou um ser normal, apesar de todos os meus defeitos, que são muitos, e das minhas poucas virtudes. Quem me conhece não me define simplesmente como arrogante, mas sim a arrogância é o meu defeito mais evidente, o que não me incomoda minimamente. Não sei como me definem, têm de lhes perguntar. Não vou aqui citar nomes, primeiro porque não tenho autorização dos mesmos e segundo porque não me apetece enumera-los. Para finalizar digo isto. Pessoa normal ou não, tenho quem goste de mim, que não gosta, lamentamos, não tenho de agradar a todos.